terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Painel da Sala de Arte na Feira Cultural


Máscaras Africanas dos 6º Anos



Máscaras Africanas pesquisa e produção realizadas pelos 6º Anos A, B e C na área de Artes com a professora Fernanda, exposição na sala de artes na Feira Cultural 2016.














FEIRA CULTURAL 2016





DIRETORA MÁRCIA RECEBE HOMENAGEM



Nossa diretora educacional, Márcia Gomes, foi homenageada nesta terça-feira, o6 de dezembro de 2016, reunidos no ginásio de esportes, alunos, professores, vice-diretores, orientadores pedagógicos, funcionários e estagiários prestaram uma emocionante homenagem a nossa diretora. Depois de quinze anos na direção da Escola João Alves dos Santos, chegou a hora da despedida, Dona Márcia, com o é chamada pelos nossos alunos, está se aposentando da rede municipal de ensino.

A cerimônia foi bastante emocionante, todos os presentes demonstraram o carinho que sentem pela amada diretora. Diferentes segmentos da escola expressaram a grande admiração pela querida diretora, refletindo o reconhecimento de toda comunidade escolar pela dedicação, empenho e o grande trabalho realizado pela diretora Márcia ao longo desses anos.

Houve discursos, poesias, canções, cartazes, cartinhas, flores, presentes, felicitações, agradecimentos... Para prestarmos uma das últimas homenagens a uma educadora que transformou uma escola.

Na gestão da diretora Márcia Gomes a escola foi adquirindo um novo conceito acolhedor e humano, a escola adquiriu uma nova identidade, com sua experiência, conseguiu a articulação necessária da equipe de professores e funcionários na construção de um novo projeto pedagógico. Realizou diferentes intervenções no espaço da escola, criando novos ambientes, adquirindo novos equipamentos, gerenciando pequenas, médias e grandes obras. Ao longo desses anos, a escola João Alves dos Santos foi acumulando várias conquistas, ganhando vários prêmios por seus projetos, ações, produções, criações. Todos nós, recebemos o apoio, a confiança, o reconhecimento que a Diretora Márcia dedicava aos integrantes da sua equipe. Os resultados da escola nas avaliações externas também confirmam a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem.

Nos últimos três anos, Márcia Gomes, dedicou-se à implementação do projeto de Escola de Tempo Integral, foram muitos dias, muitas horas de reuniões, reflexões, debates até chegar a um modelo de organização mais adequado a realidade da Escola João Alves dos Santos.

Márcia Gomes deixa um trabalho consolidado... A escola tornou-se uma das referências positivas da Rede Municipal de Ensino de Campinas, mais chegou a hora da partida, a hora de despedida... Parabéns, Felicidades e muitas Saudades...




DIRETORA MÁRCIA RECEBE HOMENAGEM


Nossa diretora educacional, Márcia Gomes, foi homenageada nesta terça-feira, o6 de dezembro de 2016, reunidos no ginásio de esportes, alunos, professores, vice-diretores, orientadores pedagógicos, funcionários e estagiários prestaram uma emocionante homenagem a nossa diretora. Depois de quinze anos na direção da Escola João Alves dos Santos, chegou a hora da despedida, Dona Márcia, com o é chamada pelos nossos alunos, está se aposentando da rede municipal de ensino.

A cerimônia foi bastante emocionante, todos os presentes demonstraram o carinho que sentem pela amada diretora. Diferentes segmentos da escola expressaram a grande admiração pela querida diretora, refletindo o reconhecimento de toda comunidade escolar pela dedicação, empenho e o grande trabalho realizado pela diretora Márcia ao longo desses anos.




Houve discursos, poesias, canções, cartazes, cartinhas, flores, presentes, felicitações, agradecimentos... Para prestarmos uma das últimas homenagens a uma educadora que transformou uma escola.




Na gestão da diretora Márcia Gomes a escola foi adquirindo um novo conceito acolhedor e humano, a escola adquiriu uma nova identidade, com sua experiência, conseguiu a articulação necessária da equipe de professores e funcionários na construção de um novo projeto pedagógico. Realizou diferentes intervenções no espaço da escola, criando novos ambientes, adquirindo novos equipamentos, gerenciando pequenas, médias e grandes obras. Ao longo desses anos, a escola João Alves dos Santos foi acumulando várias conquistas, ganhando vários prêmios por seus projetos, ações, produções, criações. Todos nós, recebemos o apoio, a confiança, o reconhecimento que a Diretora Márcia dedicava aos integrantes da sua equipe. Os resultados da escola nas avaliações externas também confirmam a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem.

Nos últimos três anos, Márcia Gomes, dedicou-se à implementação do projeto de Escola de Tempo Integral, foram muitos dias, muitas horas de reuniões, reflexões, debates até chegar a um modelo de organização mais adequado a realidade da Escola João Alves dos Santos.




Márcia Gomes deixa um trabalho consolidado... A escola tornou-se uma das referências positivas da Rede Municipal de Ensino de Campinas, e agora chegou a hora da partida, a hora de despedida... Parabéns, Felicidades e muitas Saudades...












quarta-feira, 30 de novembro de 2016

AFRO JOÂO INTEGRAL


Nossa escola dedicou os meses de outubro e novembro para promover uma reflexão sobre a História e Cultura Africana e Afro-Brasileira. Diferentes ciclos, turmas, áreas, disciplinas, períodos, professores dedicaram alguns momentos em seus respectivos tempos e espaços pedagógicos para o debate sobre a valorização da cultura negra no currículo escolar.

Surgiram diferentes abordagens que resultaram em pesquisas, trabalhos, exposições e a realização de dois eventos temáticos, o I AFRO JOÂO EJA e o I AFRO JOÂO INTEGRAL.

O AFRO JOÃO INTEGRAL ocorreu nesta quarta-feira, 30 de novembro, as atividades começaram no horário de almoço, quando foi servido um prato típico da culinária afro-brasileira, uma saborosíssima feijoada, preparada com maestria pela equipe de merendeiras da escola comandadas pela cozinheira Janice, foram mais de 20 Kg de feijão preto, 25 kg de arroz, 30 kg de carne, carne seca, linguiça calabresa e portuguesa, paio, 5 kg de farinha de mandioca, 25 maços de couve, uma dúzia de abacaxis. A feijoada do AFRO JOÃO foi servida para um pouco mais de 600 pessoas, entre alunos, professores, funcionários e convidados. A maior parte dos ingredientes foi proporcionada pela ação colaborativa e solidária de professores e funcionários empenhados em materializar uma das mais simbólicas comidas da culinária afro-brasileira.




Após a feijoada a escola foi reunida no ginásio de esporte onde ocorreu uma série de apresentações culturais. Na abertura da programação tivemos as falas da nossa diretora Márcia Gomes reafirmou a importância do tema no currículo escolar, depois o orientador pedagógico José Luiz expôs uma síntese das múltiplas intervenções realizadas pelas diferentes áreas do conhecimento no mês da consciência negra. O professor Eduardo Benedito da área de história explicou os objetivos do AFRO JOÂO em apresentar à comunidade escolar uma dimensão mais ampla da cultura produzida pela diáspora negra.



O aluno Renan César Fernandes, do 8º Ano A deu início as apresentações com a leitura do poema “Meu Sangue” de Agostinho Neto:

VOZ DO SANGUE
Agostinho Neto

Palpitam-me
os sons do batuque
e os ritmos melancólicos do blue

Ó negro esfarrapado do Harlen
ó dançarino de Chicago
ó negro servidor do South

Ó negro da África
negros de todo o mundo

eu junto
ao vosso magnífico canto
a minha pobre voz
os meus humildes ritmos.

Eu vos acompanho
pelas emaranhadas Áfricas
do nosso Rumo.

Eu vos sinto
negros de todo o mundo
eu vivo a nossa história
meus irmãos.



A programação teve sequência com apresentações musicais, acompanhadas pelo professor Eduardo (violão) e Carlo (percussão), Stephanie Helena Barbosa, a aluna do 7º Ano C, cantou a canção “Olhos Coloridos”, com um coral formado pelas alunas Gisele, Nicole, Keila e Carol. A dupla formada pelo Professor Eduardo Benedito e Carlo tocaram mais quatro canções: Zumbi (Jorge Bem Jor), Mama África (Chico César), Bate Criolo Bate (Ismael Silva) e Isso aqui é (Ary Barroso).







O AFRO JOÂO contou com uma participação especial diretamente de Angola, África, Arlindo Carlo Mangangui, que atualmente estuda pedagogia no IASP de Hortolândia, conversou com a plateia sobre os as aproximações históricas e culturais entre Brasil e Angola. Arlindo ensinou uma música e dança tradicionais da cultura angolana e fez todo mundo cantar e dançar no AFRO JOÂO.









Outra atração foi a apresentação de Eshiley Haughton, ex-aluna da escola, com um magnífico solo de dança afro contemporânea. Com uma mistura de diferentes ritmos da música negra brasileira encantou o público com a sua performance.








A tradicional capoeira também marcou presença no AFRO JOÂO com o aluno Aparecido Roberto, da EJA – Educação de Jovens e Adultos, tocando o berimbau e puxando as canções do repertório da capoeira. Na ginga ficou por conta da aluna Adriane Santana do 8º Ano A, acompanhada pelo aluno Miguel Eusébio do 9º Ano A. O professor Renato Horta saiu da plateia para participar da roda da capoeira.






O RAP é um ritmo musica com muitos admiradores na escola, os alunos Daniel do Carmo, Miguel Eusébio e Stephanie Helena apresentaram uma versão de Negro Drama (Racionais Mcs).



A programação do AFRO JOÂO foi encerrada com uma mostra do trabalho desenvolvido pelos grupos de HIP HOP da escola (Programa Mais Educação) coordenados pela arte-educadora Jacqueline.